NOO




O desconhecido, a zona de conforto à qual não estamos habituados nos causa medo. Aliás, o medo de sentir algo a que não estamos acostumados é muito comum. Mas vamos deixar a palavra ‘medo’ de lado e usar o quase sinônimo ‘fobia’, simplesmente porque dá mais credibilidade psicológica pro texto.

Analisando rapidamente o mundo que nos circunda, podemos chegar à conclusão de que a maior parte da reação negativa das pessoas vêm das fobias. Não quero dizer fobia de barata, de elevador, de cair da janela, de trovão e etc. Porque eu tenho uma série de fobias desse tipo e não quero que pensem que sou menininha. Como todos sabem, tenho uma imagem hardcore a zelar. 

As fobias mais interesantes de se observar são as fobias sociais. Mas aqui vou misturar um pouco as psicológicas também. Obviamente, naturalmente, muita gente vai achar que estou falando de mim em várias das fobias, mas a verdade é que eu não tenho fobia a nenhuma dessas. Tenho só mania de observar e classificar essa questão comportamental das pessoas à minha volta. Então, estereotipemos algumas delas:

Fobia a hippismo

São aquelas que sentem calafrios só de ouvir ‘Vila Madá’, têm queda de pressão quando sentem cheiro de incenso, preferiam ir pro inferno a ir a Alto Paraíso e não cumprimentam quem usa roupa tie dye. Podem até ter um DVD do Woodstook e ouvir Janis Joplin, mas sabem muito bem separar as coisas. Música boa é musica boa. Na maioria, são pessoas metropolitanas, de bem com a vida, pé no chão (com sapatos, claro) e de muito bom gosto. 

Fobia a High Society

São aquelas que repudiam tudo que remeta a uma coisa boa, glamurosa ou cara. Julgam quem sai um pouco a mais em colunas sociais ou simplesmente alguém que tem bom gosto pra se vestir. Aliás, todo mundo é fútil e desocupado pra quem tem esse tipo de fobia. Falam mal de qualquer pessoa que se vista bem ou tenha um bom carro. Esse tipo de fobia é muito confundida com recalque.

Fobia a modernidade

Entenda-se por ‘modernidade’ aqui uma vasta escala de gostos e costumes. Mas para a pessoa desinformada, são todos ‘modernos’. Ou, para os pobres de espírito e informação, ‘loucos’. Os ‘modernos/loucos’ costumam ter um jeito mais peculiar de se vestir e agir, mesmo que dentro dessa categoria entrem várias outras subcategorias. Não seguem tendências, nem de moda, nem de música, e gostam de ter suas peculiaridades. São taxados frequentemente de drogados, afinal, para pessoas limitadas, é difícil entender que nem todo mundo gosta de parecer que saiu de um exército de Barbies. Logo, devem estar fora de si para agir de forma um pouco diferente do resto do mundo. 

Fobia a lugares e pessoas desconhecidos

Uma das mais comuns. Pessoas tímidas, inseguras, que jamais chegariam sozinhas a qualquer lugar. Não conseguem desenvolver conversa com ninguém, provavelmente por falta de conteúdo ou de desenvoltura. E essa deve ser uma fobia complicada de se ter. Mas não vou me extender muito sobre ela porque timidez não é muito o meu forte e eu não sei falar direito sobre isso. Existe um segundo tipo nessa categoria, que é a pessoa tão cheia de si que simplesmente não conversa com os outros por achar que está muito acima daquilo tudo. Você tenta puxar um papo e ela fica te olhando de cima e respondendo ‘uhum’. Até que você perde a paciência e derruba um copo de vinho ‘sem querer’ nela. Merecido, vai. 

Fobia de ser criticado

Pessoas paparicadas por qualquer motivo a vida toda, seja pela beleza, dinheiro ou qualquer tipo de status tendem a se sentir superiores e inatingíveis. Nada, mas nada mesmo pode ir contra esse mundo da fantasia que criam à sua própria volta. E eu diria que a maior parte da culpa é das pessoas que as cercam. Criam fobias e sentimentos mais do que primitivos por pessoas que vão contra uma simples opinião que elas omitem, ou que expressam valores diferentes. Senso de humor é uma coisa que não existe pra essas pessoas, e a fobia é tão exacerbada que as leva a repudiar tudo que não faça parte do seu universo.

Fobia de competição

Hoje em dia virou comum a disputa pelo pódium da mais bonita, mais bem vestida, mais autêntica, mais hype, mais arroz de festa, mais requisitada, etc etc. Essa obsessão é tão grande que causa brigas, desentendimento e muita, mas muita inveja! Por que raios um site faz uma votação de quem é a mais bonita do circuito de São Paulo? Pra humilhar a que menos ganhou votos? Pra fazer crescer ainda mais essa busca absurda e desenfreada por uma perfeição estética idealizada e inatingível? Prometi não confundir as coisas e não botar meus pitacos aqui, mas dentre essas todas, acho que essa é a segunda fobia que mais me atinge. E pra finalizar…

Fobia de operação de adenóides

Porque todo mundo que faz diz que é terrível. E garanto que existe muita gente que tem medo também de operar os adenóides mas não diz a ninguém.


++ PEOPLE

NOO BY PEU MELLO

E é chegada a hora de mudar nosso fundo de tela por onde já se revezaram craques das imagens como os irmãos Fernando e Humberto Campana,

“JEANS” AÍ!

O jeans é uma das peças mais importantes de um guarda-roupa desde que o mundo é o mundo. Talvez seja um exagero, mas fato é que o ele es

CASES PARA IPADS

Depois que a Apple lançou sua Smart Cover, a maioria dos donos de iPads ficaram aliviados. Afinal, além de livrá-los da preocupação com

E4D: ESTOCOLMO, A CIDADE DO DESIGN

por Maria di Pace by EYE4DESIGN Fui a Estocolmo, na Suécia, semana passada à convite da Absolut para assistir ao Prêmio Absolut Art

UM PASSEIO PELA FRIEZE ART FAIR

por Cecília Tanure A Frieze Art Fair acontece anualmente em Londres. A feira de artes, que recebeu seu nome por ter como patrocinador pr

DICAS PARA UMA TPM LIGHT

por Camila Brennand Fortes Todo mês é a mesma coisa. Não bastasse a gente ficar inchada, cheia de espinhas e comendo tudo que vê pe

SALTO ANGEL: 17 DIAS NA PAREDE

Pouca gente sabe que em fevereiro deste ano, um grupo de cinco brasileiros conseguiu chegar ao topo do paredão mais difícil de escalar do

ROLETA-RUSSA #1: FEUDALIZAÇÃO DA PRAIA

by Pedro Rosman Hoje nasce minha coluna semanal aqui na NOO. Após o parto, vem o batizado: Roleta Russa! Porque a gente brinca, brinca,

MY TRACKS BY MARCOS LETA

Esta semana convidamos o nosso pequeno grande empresário carioca Marcos Leta para assinar a playlist. Ele é dono dos deliciosos sucos "do

PARE AGORA

Há quanto tempo você não tem tempo? Há quanto tempo não consegue sentar para, sei lá, ouvir música, ler, perder a hora de vista, se s

48 HORAS EM BUENOS AIRES VOL.1

por Adriana Lacerda Com toda flutuação política e econômica, uma coisa que permaneceu constante em Buenos Aires é a elegância mes

48 HORAS EM BUENOS AIRES VOL.2

Inicie as últimas 24 horas que restam em Buenos Aires com um café da manhã no Hotel Duhau (Alvear, 1661). Além de ser um dos melhores ho

DESTAQUES DA REDAÇÃO

INSPIRAÇÕES #NOOMAG